Se tem amor…


Se tem amor não importa a toalha sobre a cama, os hábitos incompatíveis, as coisas que não combinam.

Se tem amor a gente abre os braços e pula – e olha que numa hora dessas, pouco importa se o outro realmente estará lá embaixo para amenizar a queda. É por isso que quando o assunto é amor, tanta gente quebra a cara.

Se tem amor a gente não liga para o sobrepeso dele ou os seios pequenos dela. Se tem amor a gente fica cego, já dizia minha avó.

Se tem amor, tem um montão de outras coisas: tem medo e superação, tem admiração, tem renúncia. Sim, porque amar é abraçar um caminho e renunciar aos atalhos.

Se tem amor tem dúvida. Cara, nem Shakespeare conceberia um amor construído de certezas. Se tem amor não tem talvez ou pode ser.

Se tem amor, tem trilha sonora. A voz do outro é música, a voz do outro é paz.

Mesmo com amor, a gente acha mil motivos para dar um passo para trás… E um milhão de razões para dar um passo adiante.

Colunista de hoje:

FlahIIFlah Queiroz – Branca de Neve que adora um blush. Bela Adormecida com insônia. Cinderela que não abandonaria o sapato predileto. Bela com vocação para Fera. Chapeuzinho chegada em lobo mau. Viciada em finais felizes e avessa ao sentido literal das coisas. Como diria a melhor amiga: Nem mulherzinha, nem mulherão… Mulher sem medida. Quase-publicitária, quase-escritora, quase-romântica, quase-bonita… Obstinada por inteiro. Blog: Relicário. Twitter: @flahqueiroz