Skip to content

[Mais um] Tentando entender as mulheres

Enquanto escrevo este texto, estou pensando no que realmente quero escrever. Ou seja, o que está sendo contado aqui é algo espontâneo sobre algum momento recente da minha vida. E quando você acha que está perto de entender a cabeça das mulheres, eis que você se pega indo no sentido errado. Percebe que não sabe da missa um terço.

razao

Um belo dia aparece uma figura nova no trabalho. Estagiária, 20 anos, no mínimo interessante. A menina é de outro setor, mas nos esbarramos de vez em quando. Ela sempre ri pra mim, faz que quer puxar assunto, mas ficamos só no olhar. Um belo dia, sem querer um sujeito perto de mim puxa assunto com nós dois (que estávamos próximo, mas cada um fazendo seu qual), e a partir daí começo a falar com a dita cuja. Até aí normal. Até que ela pergunta meu nome e pede pra adicioná-la no “msn” da empresa. Tudo bem também.

Eu sou daqueles caras pseudo-tímidos, que demora a fazer a introdução, mas depois disso já era. Sou o senhor da alta comunicação. E foi assim, conversávamos o dia inteiro sobre diversos assuntos, e ela sempre dando corda. Aquele tipo de conversa que a pessoa leva com o intuito de despertar o seu interesse. Já tinha despertado o meu, mas com a vida enrolada que eu ando levando, fui tentando empurrar por um tempo até mostrar real interesse e chamar pra fazermos algum programa juntos.

Numa bela segunda-feira de inverno, ela passa por mim sem nem falar direito. Assim que eu chego no escritório, está a janelinha dela piscando pra falar comigo. Era um pedido de desculpas e uma afirmação de que não era grossa daquele jeito. Que foi só o momento. Por mim, tudo bem, cada um com seus problemas. Pra manter a conversa pergunto como foi o fim de semana. “Nada bom.” “Mas por quê? O que houve?” “Terminei com meu namorado.” Sim, ela tinha um namorado. Três anos e meio de um relacionamento sério. Não é neste ponto que eu não entendo a cabeça das mulheres. Continue a leitura.

mulheres– “Sério, isso tudo? Mas vocês voltam logo, é muito tempo de namoro.”

– “Não, acho que não. Seria um erro, não acho certo estar gostando de outra pessoa e ficar com ele.”

– “Outra pessoa? Da faculdade?

– “Não.”

– (João-sem-braço) “Da igreja?”

– “Eu já te disse que não frequento a igreja. Vai, pode perguntar se é do trabalho.”

– “Hummm.. da academia?”

– “¬¬’ ”

– “Ah, então só sobrou do trabalho.”

– “Sim. Você é muito bobo…rs.”

Agora, onde eu me enganei? Primeiro, jurava que ela não tinha namorado. Como alguém demonstra tanto interesse por alguém que mal conhece tendo um namorado há três anos e meio? Segundo, eu pensava que as mulheres esperavam algo mais sólido pra largar um namoro. Sei lá. Talvez ela devesse ficar comigo antes pra ver se valia à pena. Terceiro… Não tem terceiro, pelo menos por enquanto. Mas vocês podem me criticar falando que eu me acho muito, pois pode ser alguma outra pessoa do trabalho. Mas eu posso garantir que sou eu… ela também.

5 Comments

  1. @corujo5 @corujo5

    É complicado entender as mulhere sim! Qdo não tenho ninguém, sou do tipo paquerador ‘comum’ e qdo tenho uma namorada, dedico-me inteiramente, mas essa dedicação sempre traz desconfiança, tipo: ‘ele me trata bem, é pq deve estar me traindo e sente complexo de culpa’!!! No fundo, acho q vcs,mulheres, se amarram mesmo é no tipo cafajeste! (com todo respeito)

  2. M.L. M.L.

    Concordo… não sou santa, mas se to num namoro é pra valer! E (não é uma regra, claro!), mas a maioria das mulheres quando vem a se “encantar” tão facilmente assim é pq o sentimento já não é mais o mesmo… normalmente ela opta por terminar. Como diz o ditado: “melhor ferir com a verdade que enganar com uma mentira”

  3. C.B C.B

    HAHA…entendo ela, pois já diz o mesmo.
    Eu fiz até por questão de respeito, meu ex namorado de três anos sempre foi um doce quando me ri realmente tentada por outro, achei melhor terminar. Já que isso mostrava que eu não gostava dele como imaginava e eu não iria trai-lo p/ ver se valia a pena p/ só depois terminar.
    Penso que mesmo que não desse certo com o outro, como não deu, pelo menos eu não desrespeitei traindo alguém que me fez bem e sempre me respeitou por três anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.