Skip to content

Príncipe: mito ou realidade?

PRINCIPE-ENCANTADO‘Era uma vez’. Essa frase antecede uma série de enredos com pontos em comum: príncipes, bruxas, o amor como salvação e um final que inclui beijo e o tão clichê ‘felizes para sempre’ – além de anões, passarinhos assobiadores e cavalos brancos.

Cá entre nós, hoje em dia tá mais fácil encontrar um passarinho que assobie como o Chico Buarque que um príncipe. Até porque, não tem cabimento ler um conto de fadas imaginando um gato de olhos verdes e na vida real, encarar o Príncipe Charles e seu nariz nada sutil.

A verdade é que o príncipe ainda existe, o encanto é que mudou. A mulherada descobriu que não quer o herdeiro da realeza, quer mesmo o encantado, seja ele plebeu ou não.

Nos contos, a graça do mocinho não é sua descendência real, seu alazão ou sua calça justinha. A graça é que ele tem encanto. Esqueça a literalidade e traga isso para o século XXI. Resultado: sex appeal, brilho, simpatia ou qualquer outra palavra usada para descrever o que torna alguém interessante.

príncipemodernoGosto de pensar que o escolhido da Branca de Neve, por exemplo, podia não passar de um agricultor modesto montado num jumentinho, mas aos olhos dela, o cara era O CARA: um príncipe.

Assim, meu bem, o encantado dos novos tempos não necessariamente trocou o cavalinho por uma Ferrari. O encantado dos tempos modernos é simplesmente o cara que sabe fazer valer a pena.

Não, o príncipe não é um playboy sem escrúpulos que te faz desejar ficar com a bruxa a passar uma noite inteira sendo entediada pelo ego dele. O príncipe pode nem mesmo ser romântico e delicado… Isso depende da princesa.

Responda para si mesma: Qual seu tipo de homem? Respondeu? Pois é, Cinderela… É esse seu príncipe!

‘E foram felizes… Até brigarem pelo controle da TV. E foram infelizes… Até fazerem as pazes. E novamente felizes… Até a toalha molhada em cima da cama. E foram infelizes… Até ele se desculpar. E foram felizes (…).’

2 Comments

  1. Adorei o texto, e super concordo!

    Sempre desconfiei dessa afirmação destruidora de sonhos, de que prícipe encantado era mito.
    Afinal, quem não quer encantamento, mesmo que ele as vezes pareça sumir para depois reaparecer como certezas, e assim por diante?!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.