Skip to content

Paixão vem fácil. Já o amor…

Discussões, brigas, desculpas, pressões. Não se apegue a isso. O amor não nasce de uma situação (mal) resolvida, o amor não nasce da raiva, da desconfiança, do ciúme.

O amor vem da convivência, da aceitação dos defeitos e da admiração das qualidades. Às vezes, quase sempre, nem precisamos passar pela paixão louca e avassaladora. O amor chega. Aquela angústia que vem da busca insana pela vitória, pela conquista, não é amor. E que angústia faz bem para nossas almas? O amor não faz sofrer. Amor é paz, é alegria, é companheirismo, é cuidado, é confiança. Não busquemos a dor da paixão, busquemos a tranquilidade do amor.

Paixão vem fácil. Um beijo bom, um olhar, um abraço que encaixa e algumas palavras trocadas bastam para despertar um ilusório sentimento que vem seguido daquele aperto no peito, do nó na garganta, da insegurança, do risco. Já o amor… Você pode não sentir aquele desejo incontrolável, no começo, achar que a pessoa não te completa, não ter tesão por ela nem imaginar apresentando-a aos seus amigos.

Mas aí você dá a chance. E as horas tão seguras, as conversas leves, as músicas que lhes fazem sorrir, as coincidências, a dedicação, o carinho, o aconchego, as risadas e elogios sinceros vão despertando, aos poucos, uma afinidade que você jamais imaginara. E confiança. E paz. Você pode ser você. Você pode dar tudo de você. Você sabe que não precisa jogar. E isso te faz bem. É aí que o amor começa a ser gerado. E, não se preocupe, ele nasce e cresce rápido. E, quando verdadeiro e bem preservado, não morre.

Experimente. Tente.

Texto da lindona Luciana Sabbag do blog A melhor da intenções \o/  Lu é a mulher certa que ama homens errados. Prendada, cozinha bem, se dedica, faz de tudo para agradar e ainda segue as tradições que sua avó a ensinou. Abafa o caso, mas Luciana tem até um enxoval prontinho (o pior é que ela se orgulha disso, conta pro cara no primeiro encontro e já dá um jeito de espantar o rapaz).

Desde seu primeiro beijo, acredita que “esse é o cara”, se derrete, se apaixona, jura que vai casar e se decepciona.

Ela sabe que é ela quem apressa as coisas. Mas também não faz nada para mudar isso: ela acredita que vai encontrar alguém que pense como ela.

E… enquanto não encontra, ela não desiste de tentar.

One Comment

  1. […] * Mulherzinhas – Paixão vem fácil. Já o amor… […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.