Na balada o cara a encara e a chama pra dançar. Quando suas mãos tocam as dele e os corpos se encostam é como se ela o conhecesse há tempos.

De onde o conhecia?

Dançaram uma, duas, três…Perdeu as contas de quantas músicas dançaram.

Quem era ele? Porque seu rosto era tão conhecido?

Se olharam e ele disse seu nome: João!

Beijaram-se longamente.

Eu conheço essa boca.

E continuaram a dançar. Agora mais colados. Dançando e beijando ao mesmo tempo.  A noite foi dando espaço para o dia e tiveram que ir embora.

Queria nunca mais o perder de vista.

Foram embora juntos. Ele a deixou em casa. Despediram-se com um beijo longo e ele disse: Como você é cheirosa. E ela olhou firme em seus olhos e disse: Vamos manter contato? O que ele simplesmente respondeu: Não!

Como assim não?

Abriu a porta para ela e disse: Não quero contato. Não quero me apaixonar. E assim ele foi embora. Ela ficou com o beijo no pensamento e a lembrança de uma noite gostosa.

Porque ele recusou o contato?

No outro dia ela entrou no google e digitou o nome dele e sua profissão (engenheiro civil) e tentou encontrá-lo.

Por onde anda você João?

Nome tão popular. Será que este era o nome mesmo dele? Ela nunca ficará sabendo.

*PS: Se você viveu esta história e chama-se João (ou não) entre em contato – [email protected]as.com

Pergunta:

É melhor o cara dizer que vai ligar e sumir ou dizer logo na cara que não quer mesmo contato? Olha  que já teve sumiço mais estranho que esse (confere aqui).

Mulher de 30

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.