Skip to content

Gostar demais ou ‘de menos’?

balanca-no-amorTenho certeza que a maioria das pessoas que cria uma barreira para voltar a gostar de alguém de novo, se entregar de corpo e alma, é o que me levou a essa pergunta. Gostar demais ou “de menos”?

Quando eu era mais novo, tinha uma garota lá na academia (dança de salão) que eu era aluno e eu era apaixonado pela menina. Sequer ficava com ela. Mas na época eu era romântico. Mandava e-mails bonitinhos, conversava fofamente pelo ICQ e era tímido, mas me esforçava pra falar com ela pessoalmente. Com o tempo ela foi gostando do papo. E não éramos tão novos assim. Eu tinha uns 17 anos se não me falha a memória. Até que finalmente, consegui roubar um beijo. Não consigo precisar quanto tempo durou, mas foi o suficiente para termos certas lembranças até hoje (digamos que temos a nossa música ainda 8 anos depois).

Um certo dia àquela época, eu estava escutando GIZ da Legião Urbana e resolvi transcrever parte de uma frase da música e enviá-la por SMS pra minha então amada. A frase era “Acho que estou gostando de alguém…”

Dias depois ela terminou comigo. Disse que achava que eu estava gostando demais dela e a recíproca não era verdadeira. Obviamente não entendi muito bem, porque nem sabia que o motivo era a mensagem. Só fui saber quando uma amiga minha, me vendo triste, veio me contar que tinha visto a mensagem. E disse que era a sua música favorita. Hoje vejo por um lado bom, pois isso criou um forte vínculo entre eu e esta dita amiga e viemos namorar um tempo depois.


Porém, a questão aqui é outra. Que negócio é esse de gostar mais de alguém do que alguém de você? Isso não é desculpa pra findar um relacionamento que está no início. Ou até um relacionamento de média duração. Ninguém gosta igual. Nunca se sabe quem gosta mais de quem. Na verdade, é até possível. Quando alguém não gosta quase nada do outro, é fácil saber quem gosta mais. E daí? Eu já fiquei muito tempo com garotas que gostavam mais de mim do que eu delas, e nem por isso no fim alguém saiu magoado. Pelo contrário, ficamos amigos no fim das contas. E posso dizer que isso aconteceu várias vezes porque, apesar de eu ter conhecimento desse sentimento que a pessoa tinha por mim, eu nunca iludi, simulei ou fingi o que eu esperava daquela relação, mas também respeitei a pessoa até o fim.

A idéia de escrever isso começou quando, conversando com a minha irmã, ela me disse que uma amiga nossa vai casar no ano que vem. Então perguntei: “Poxa, ela terminou um namoro de 3 anos com um cara e não deu em nada. Está com esse atual há poucos meses e já diz que vai casar?” Então ela me responde: “Mas o ex dela gostava mais dela do que ela gostava dele.” Papo, conversa, balela. Se ela me dissesse que a amiga não gostava do outro há muito tempo e só estava levando com a barriga porque estava acostumada, tudo bem. Agora me dizer que o outro gostava demais dela. Quem não gosta de ser muito amado? Quem responder que sim, deve ser imediantamente ncaminhado para um hospital psiquiátrico ou algo do tipo.

Conclusão: Aquela menina do começo da história. Aquela que me deu um pé na bunda. Depois que meu namoro com aquela minha amiga terminou, voltamos a ficar por um tempo. Mas como ela tinha me vacinado, eu diria que a dose foi alta demais. Eu não consegui levá-la tão a sério. Gostava dela, mas não era como antes. E percebendo isso ela me deu o segundo pé na bunda. E eu meio que não me importei tanto. Tempos depois, conversando com ela, descobri que na época ela queria mesmo era namorar comigo e não sentiu a mesma vibe vindo de mim. Isso era verdade. Mas o pior de tudo é que aquele meu coração não existe mais… hoje é de papel.

___________________________________________________________

Texto de autoria do Vinícius (blogueiro amigo que já esteve aqui outras vezes) do Judas Carioca. Segue no twitter @vinimendonca

3 Comments

  1. Neko Neko

    Esse texto é tao lindo…a menina achava q vc nao gostava mt dela, qdo na verdade vc era loko por ela. é por isso q dizer o q se sente é as vezes a unica maneira de deixar as coisas de fato claras. por mais dificil q isso seja.

  2. reinaldo chen reinaldo chen

    Entregar-se ao amor é bom … sabendo que pode se machucar e pronto… faz parte… não tem nada e nenhuma atitude que proteja da dor…então é melhor mergulhar de cabeça e quando acabar , ficar com a consciência tranquila de quem fez o melhor que pode e se a outra parte não quer …paciência…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.