Skip to content

Morar ‘junto’ causa depressão!

“Casais que apenas moram juntos reportam níveis mais altos de depressão do que os que são casados”, alertam pesquisadores  da Bowling Green State University, em Ohio (EUA).

Li esta matéria no blog da Super – Ciência Maluca – onde o estudo também afirma que os ‘juntados’ sentem mais ‘falta de estabilidade’ que os casados pela lei.

Algumas pessoas, apesar de dividir a mesma casa, não se apresentam como ‘casados’ e sim namorados…Outros usam a experiência de morar junto como um ‘pré’ casamento, alguns justificam essa atitude:

“Por que acho importante morar junto antes de casar? Para testar na prática se há compatibilidade de gênios ou não. Para ver se a pessoa amada é realmente tudo aquilo que aparenta ou diz ser. Sim, porque simplesmente ficar algumas horas por semana perto do querido não mostra a verdadeira essência do cara. E como mentira tem perna curta e não dura para sempre… A máscara cai, às vezes antes mesmo do primeiro mês acordando juntos.” (Blog Melhor Amiga)

No entanto algumas pessoas condenam este tipo de relacionamento e acreditam que o cara (ou a cara) quando não quer casar é porque não leva o relacionamento a sério:

“Primeiramente nunca passou pela minha cabeça morar com alguém antes de casar. Sou um ser humano e não quero me sentir testada como um carro por exemplo, em que há a opção de se fazer um test-drive.  Não condeno quem optar por essa experiência, mas francamente não é a minha.” (Cérebro Masculino)

Mesmo no século XXI ainda sentimos a ‘pressão’ da sociedade em formalizar a união?

8 Comments

  1. Ana Ana

    Descordo, moro junto, e digo meu marido pra todos, somos felizes, brigamos, passamos por problemas como todo casal, resolvemos nossos problemas como todo casal, não me sinto menos casada pro não ter papel nenhum, mas confesso que temos vontade de casar e tal, mas não faço questão.

  2. ahhhhhhh…não concordo não…faço parte das exceções…

  3. Valeria Valeria

    Meus padrinhos viviam juntos na década de 50. Nunca se casaram, e se amavam muito e a união deles foi “até que a morte nos separe”. Até dormiam em camas separadas. Meu padrinho era brasileiro e ela era tcheca. Ela era lindíssima, e toda a família dele a admirava.
    Era uma mulher culta, fina, educada, meiga, carinhosa, atenciosa. Não tiveram filhos, tinham um lindo gato de estimação da raça Angorá.

  4. Assino embaixo. Só que padeci do mesmo mal em um casamento oficial e em uma “junção”. O negócio é morar separados mesmo! Cada um com sua vida e de vez em quando um sexo selvagem…
    Beijos

  5. Anna Anna

    Corrigido… (Marcos)

  6. Marcos Moraes Marcos Moraes

    O texto original diz: Aquele sentimento de “falta de estabilidade” no relacionamento, que atinge os “juntados” 25% mais do que os casados pela lei. “E isso é especialmente verdade entre os casais que estão juntos há muito tempo”, diz o estudo. E aí, quer repensar essa modernidade toda?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.