Skip to content

Carreira internacional, por onde começar?

Profissionais de vários setores tem encontrado no mercado internacional uma extensão da carreira. Salários melhores, benefícios incluídos e o prestígio de assumir um posto de liderança em outro país com outra cultura. Mas por onde começar? Neste artigo tem uma lista de recrutadores para trabalhar no exterior com oportunidades temporárias e permanentes. Você tanto pode começar a se candidatar como usá-los como termômetro para o que se pede de experiência e quanto costuma-se pagar.

Acho que já falei do app Meet Up inúmeras vezes por onde passo. Ele é um excelente ponto de contato com profissionais em qualquer cidade que passar. Digita lá o nome da cidade que pretende morar – visitar – explorar e se junte a uma reunião profissional, cultural… O Linkdedin é outra ferramenta que ajuda muuuuito a criar um networking internacional. Fica a dica!

Carreira internacional para mulheres

 

Se a sua prioridade é ir embora de vez pra longe-tão-distante-do-Brasil, condições como salário de ouro e outros benefícios podem se tornar secundários ao topar o primeiro emprego. Ele pode não ser a quinta maravilha do mundo, mas pode ser seu passaporte pra viver no lugar dos seus sonhos. Agora se a intenção é ir para expandir a carreira ou conquistar um posto que não se sustenta aqui no Brasil, capacite-se para concorrer com os melhores, pois as empresas gringas tem o costume de criar um ambiente favorável para receber profissionais estrangeiros.

Um profissional internacional precisa ser um resiliente cultural convicto, caso contrário, as nuances culturais que vão despontar no seu cotidiano poderão tirar toda a disposição em permanecer no lugar. Não acredite nessa história que o brasileiro é super flexível e se dá bem em qualquer situação, não é bem assim.

Dicas para uma carreira internacional de sucesso

Os headhunters dão a dica: comece entendendo mais da cultura dos países que está disposto a morar, pois se não se adaptar aos costumes, clima e infraestrutura locais, todo o esforço será em vão. Falar inglês é o mínimo, na Europa as pessoas falam, facilmente 4 idiomas. Então se quiser se equiparar a este mercado, é preciso estudar, pelo menos russo, francês, chinês ou espanhol e estar preparada para uma entrevista em inglês, pelo menos.

Se for solteira, por um lado é mais fácil por não ter que conciliar com a agenda e carreira do marido, escola dos filhos… Por outro lado, morar longe da família e amigos, sozinha é um desafio ainda maior.

Ir com a família para outro país requer um tempo de negociação maior e um preparo cauteloso. Todos precisam estar felizes com a decisão, senão não compensa o transtorno em casa. Sabe aquela coisa sorte na carreira e azar no amor? Então, não rola.

 

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.